Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Perdida por Lisboa

A capital vista pelos olhos de uma açoriana...

Perdida por Lisboa

28
Mai17

Jardim Zoológico de Lisboa faz 133 anos

NNC

Golfinho (1).jpg

 

O Jardim Zoológico comemora este domingo, 28 de maio, 133 anos de existência, mas quem vai receber as prendas são os visitantes.

 

O Zoo proporciona um dia em cheio, com “retratos de rua”, visitas guiadas, presentes, jogos, pinturas faciais, descontos na bilheteira e muitas outras surpresas.

 

Além disso, todos os visitantes que comemorem o aniversário neste dia têm entrada gratuita no parque zoológico e botânico desde que se façam acompanhar pelo documento de identificação.

 

História

BeFunky_DSC00865.jpg.jpg

 

Se há lugar incontornável para passar um dia em família é com certeza o Jardim Zoológico de Lisboa. O espaço amplo e bem organizado, com 330 espécies e mais de 2000 hóspedes, é para muitas crianças o primeiro contacto com animais selvagens que só conhecem dos livros, da internet ou da televisão. Mas se uma visita ao Zoo faz as delícias dos mais pequenos, também os adultos ficam rendidos a este espaço.

 

Ao longo dos anos, foram muitas as mudanças e transformações. As jaulas deram lugar a espaços projetados para simular o habitat natural de cada espécie e há cada vez mais cuidado com a interação entre humanos e animais. Uma das grandes atrações nas décadas de 80 e 90 era o elefante que tocava um sino em troca de amendoins. Apesar de parecer um espetáculo inofensivo, a verdade é que não é um comportamento natural dos elefantes, e a nova política do zoo pretende evitar tudo aquilo que é provocado pelo homem. Mas as novidades não acabam por aqui.

 

O Bosque Encantado foi renovado; além da apresentação dos répteis e das aves em voo livre, tem agora um parque de merendas onde poderá almoçar calmamente com toda a família.

 

A tapada do lince-ibérico (o felino mais ameaçado do Mundo) é também recente. O casal de linces Azahar e Gamma chegou à capital em 2014 e desde aí que encanta os visitantes, contribuindo para a missão do Zoo de alertar a população para a preservação e conservação de espécies em vias de extinção. E se estas novidades já não bastassem para o convencer a (re)visitar o Zoológico de Lisboa, há ainda atrações que por mais anos que passem continuam a ser arrebatadoras.

 

A alimentação dos afáveis leões-marinhos e a apresentação dos golfinhos são dos momentos mais mágicos e mais esperados por quem visita o Zoo. Durante o espetáculo, ouvem-se ‘gritinhos’ de espanto a cada proeza destes simpáticos cetáceos. E, no fim, o sorriso rasgado estende-se a todos, sem género ou idade.

 

Para completar este cenário ternurento, aproveite para conhecer as crias que nasceram este ano; Termine o dia com um passeio de comboio ou com uma emocionante viagem de teleférico.

 

O que não pode de deixar de visitar no Zoo

BeFunky_DSC00786.jpg.jpg

 

O mais antigo

Girafas - Neste espaço, temos o membro mais antigo do Zoo de Lisboa, a girafa Java, e dois dos mais novos, duas crias que nasceram em 2014. A girafa-de-angola (Giraffa camelopardalis angolensis) é o animal mais alto do Mundo, podendo só o seu pescoço medir dois metros. A cor e o padrão da pelagem variam conforme a zona geográfica.

O mais pesado

Elefantes - É o maior animal terrestre e o mais pesado do Jardim Zoológico de Lisboa. Apesar de já não tocarem o sino quando os visitantes lhes dão amendoins, continuam a ser das espécies que mais prendem a atenção do público. A sua grandiosidade fascina, ao mesmo tempo que pede respeito.

Bosque encantado

Aves em voo livre - É no Bosque Encantado que se realiza esta espetacular demonstração de voo, onde se pode observar esplendorosas aves cruzar os céus e aterrar junto aos visitantes. Durante a apresentação, pode ainda ficar a conhecer mais sobre os ecossistemas das espécies ali representadas. As araras, a águia e o falcão são as aves preferidas dos visitantes.

A mais ameaçada

Órix de Cimitarra - O Zoo de Lisboa orgulha-se de ter assistido este ano ao nascimento de uma cria de órix-de-cimitarra, espécie extinta na Natureza desde 2000. A cria representa uma vitória importante no trabalho realizado pela conservação desta espécie, que passou de abundante a extinta em apenas algumas décadas devido à caça intensiva, aos longos períodos de seca, à desertificação e à redução de habitat natural.

Alerta

Alimentação de leões-marinhos - Nesta apresentação, os visitantes podem observar a alimentação e comportamento dos leões-marinhos, ficar a conhecer as diferenças entre estes simpáticos animais e as envergonhadas focas e ainda ouvir uma mensagem de consciencialização sobre a preservação do meio ambiente e dos animais. Esta espécie sociável e curiosa, que se alimenta de peixe, tem em adulto uma coloração escura no dorso e dourada no peito. O macho, claramente maior que a fêmea, distingue-se pela cabeça e pescoço maciços. Durante o show, pode saber mais curiosidades.

Viagens

Passeio de comboio ou teleférico - Sempre com o objetivo de conhecer melhor os animais, o Jardim Zoológico de Lisboa disponibiliza dois serviços que oferecem aos visitantes passeios diferentes pelo espaço. Durante a viagem de comboio, são transmitidos conhecimentos sobre cada espécie, enquanto o teleférico oferece uma viagem emocionante que atinge o auge de adrenalina quando se passa por cima da encosta dos leões.

 

A mediática e mágica baía dos golfinhos

 

Abriu em 1995 e foi desde logo um êxito. Sucesso que se mantém 20 anos depois. A Baía dos Golfinhos é um dos melhores delfinários da Europa e pioneira na apresentação de golfinhos e leões-marinhos em simultâneo na mesma exibição. Neste aquário, decorado como uma vila piscatória, realiza-se um dos espectáculos mais divertidos e populares do Zoo, combinando, numa só apresentação, acrobacias e informações sobre as características e comportamentos destes dóceis e simpáticos animais.

 

As exibições têm uma duração de 45 minutos, mas que parecem 10. O entusiasmo das crianças no colo dos pais alia-se às gargalhadas e aos ‘uau’ que saem das suas pequenas bocas. Mas não pense que este é um espetáculo só para crianças, até os mais velhos se regozijam com as proezas dos quatro cetáceos que, apesar de não terem nascido em terras lusas, parece sentirem-se em casa, ao reproduzirem muitos dos seus comportamentos naturais, como transportar objetos e brincar na água, durante os espectáculos.

 

O fascínio pelos mediáticos golfinhos e leões-marinhos é tanto que, no final do show, crianças e adultos fazem fila para tirar fotografia com estes animais.

 

Agora já tem onde deixar o seu animal exótico quando for de férias

 

Começam a nascer por todo o País hotéis onde pode deixar os seus animais de companhia quando for de férias. Contudo, o Pet Hotel, localizado no Jardim Zoológico de Lisboa, não recebe só animais domésticos, como cães e gatos. Recebe também aves, roedores e até répteis. Uma mais-valia para os amantes de animais exóticos, que a partir de agora podem contar com uma equipa de médico-veterinários com vasto conhecimento na área.

 

Recuperar energias no restaurante Savanna

O Zoo de Lisboa tem várias espaços para recuperar energias. O mais recente é o Parque de Merendas, onde pode levar a lancheira e fazer uma refeição mais em conta para toda a família. Contudo, também pode almoçar ou lanchar no Savanna, um restaurante self-service com cafetaria, onde poderá desfrutar de uma refeição equilibrada e saudável e ainda fazer uma pausa relaxante. O ambiente tranquilo e a oferta gastronómica vai agradar filhos, pais e avós. Há menus que incluem sopa, prato principal, bebida e sobremesa adequados a todas as carteiras. Com capacidade para 240 pessoas, este espaço pode ser também palco para eventos particulares ou de empresas. Além destas duas possibilidades, o Jardim Zoológico de Lisboa oferece também serviços como cafetaria, geladaria e até o conhecido restaurante de fast-food norte-americano McDonald’s.

 

Preços, parcerias e atividades em família

Em tempos de crise, a visita ao Zoo deixou de ser por impulso e passou a ser um programa planeado. Os preços, geralmente fixos, variam se for cliente de parceiros do Zoo, como a CP e a Caixa Geral de Depósitos.

 

As visitas de estudo também têm preços especiais, que podem ser consultados no site do espaço. Além das entradas, há atividades que têm um custo acrescido, mas que despertam o interesse de cada vez mais pessoas.

 

As festas de aniversário, com programas adequados a várias idades e diferentes bolsos, conquistam os mais novos, mas são os Sábados Selvagens – percurso temático com visita a bastidores, onde pode descobrir os processos diários de tratamento e alimenta- ção dos animais – que conquistam toda a família.

 

Preços

Crianças até 2 anos – grátis

Criança (3-11 anos) 13,50 €

Adulto – 19,00 €

Sénior (+65 anos) 15,00 €

Morada

Rua Marechal Humberto Delgado, 1549-004 Sete Rios

Telefone 217 232 910

Site www.zoo.pt

 

Já há três anos tinha escrito sobre o Jardim Zoológico no Perdida por Lisboa. Clique aqui para recordar o post.




25
Mai17

Vamos tapear?

NNC

rota1.png

 

Se há evento que aguardo sempre com ansiedade é a Rota de Tapas Estrella Damm. E já começou! Para quem não conhece eu passo a explicar para que percebam toda esta minha euforia.

 

Duas vezes por ano, durante duas semanas, pode experimentar uma tapa e beber uma cerveja em vários restaurantes de Lisboa por apenas 3 euros. Ah! E ainda pode ir à boleia (gratuita) de um tuk tuk. Para mim esta é uma forma de conhecer novos restaurantes e, se gostar, voltar lá para uma refeição mais composta.

 

Algumas experiências correm bem, outras nem por isso, mas como é barato vale mesmo a pena experimentar. Normalmente gasto 9 euros, vou a três sítios diferentes e fico com a barriguinha cheia.

 

Nesta edição - que dura até dia 4 de junho -  são 29 os restaurantes e bares, espalhados pelo Rossio, Bairro Alto, Príncipe Real e Cais do Sodré, que aderiram a este "rali tascas" gastronómico. As tapas variam de espaço para espaço, mas esta edição tem sobretudo hambúrgueres e petiscos com pão. Se por um lado é uma desvantagem, por outro é bom para quem tem mais fome.

 

Nove tapas que chamaram a minha atenção nesta edição:

  1. Restaurante Reserva - ‘Tática do Reserva’: porco assado lentamente no forno com molho barbecue, ananás grelhado e queijo provalone em bola rústica.
  2. Storik – ‘Duelo de Rolinhos’: rolinhos com chourição, cogumelos frescos, queijo 100% mozarela e base de pizza.
  3. Arco da Velha – ‘A Tapa Porca’: tirinhas de porco fritas sobre base de pão e molho.
  4. Koppu – ‘Gua Bao com Galinha Marinada’: galinha marinada, assada e servida em pão cozido a vapor com pepino, alho francês marinado em vinagre de arroz, molho toukotsu e crocante de sésamo.
  5. Bossa – ‘Brasileirinho’: espetadinha de churrasco de picanha, croquete de arroz, croquete de feijoada, mandioca palha e vinagre picante.
  6. Tapa Bucho- ‘Slowpy Jo’: pá de porco assada a baixa temperatura com molho de barbecue Damm em pão bijou.
  7. Tasca do Lado - ‘Tapa à Portuguesa’: lombinho de porco com batata-doce, laranja, chalota e alho esmagado e picado
  8. Croissant Gigante  - ‘Tapas Misto’: três croissants salgados (com salmão e creme de queijo, outro com presunto e queijo da serra, outro com queijo de cabra e pera) e dois doces (chocolate e caramelo salgado e doce de ovo com fios de ovos).
  9. A Maria não Deixa – ‘Dueto Português’: dois croquetes com sabores típicos portugueses, um de alheira e outro de bacalhau.

 

A Zomato tem uma coleção dedicada ao evento onde pode ver todos os restaurantes aderentes e as tapas que cada um oferece. 

 

Tuk tuk gratuitos

Os tuk tuk são gratuitos e transportam-nos de bairro para bairro. Estão disponíveis das 19h00 e as 23h00, de quinta a sábado, nos terminais Cais do Sodré, Rua Garret e Miradouro de São Pedro de Alcântara. Podem levar até seis pessoas e cada um dos viajantes precisa ter pelo menos um carimbo no passaporte da rota (este ‘documento’ está disponível à porta dos espaços aderentes e é carimbado depois de comer a tapa).

 

Passaporte para Barcelona

Quem conseguir juntar três carimbos de diferentes restaurantes pode habilitar-se a ganhar uma viagem a Barcelona para duas pessoas. Basta seguir as regras explícitas no passaporte e colocar o folheto numa das tômbolas existentes nos espaços.

 

Outras cidades

Depois de vários anos em Barcelona, cidade onde nasceu a Rota de Tapas, o evento lançou-se na capital portuguesa há quatro anos. Alargou-se, entretanto, ao Porto, a Braga e este ano, pela primeira vez, realiza-se também no Algarve, mais precisamente na cidade de Faro.

19
Mai17

Cake pops de ir às nuvens

NNC

Cakepops.jpg

Se foi a um batizado ou a um baby shower recentemente, com certeza reparou nas bolinhas, em forma de chupa-chupa, presentes na mesa central da festa. Ao contrário do que muitos pensam, não são rebuçados mas sim cake pops. Bolos em forma de bolinhas, feitos com massa de bolo e unidos por um recheio que muitas vezes é de leite condensado. Posteriormente, são decorados e colocados num pau semelhante aos dos chupa-chupas.

 

Foi com estes doces que Joana Rasga lançou o Nuvens às Fatias. Apesar de ser mestre em Organizações e Recursos Humanos e de ter um trabalho que nada tem a ver com confeitaria, a empresária, de 25 anos, decidiu criar uma página de Facebook e Instagram e lançar o seu negócio.

 

O sucesso foi imediato e, passado apenas um ano, são já dezenas os produtos que Joana fez com toda a paixão que tem pela confeitaria e decoração. Além dos cake pops, Joana faz também bolachas, doces de copinho, bolos e cupcakes de acordo com o gosto do cliente.

 

 

11
Mai17

10 coisas para fazer num dia de chuva em Lisboa

NNC

Lisboa.jpg

                                                                                                                                                                    Crédito foto: Yann Coeuru/Visual Hunt

 

Parece que apesar de estarmos em maio vem aí uns dias de chuva. Pois é! Também detesto este tempinho… Mas vá, não vamos ficar chateados com São Pedro. Lisboa tem várias opções de atividades para estes dias e o melhor é colocar em prática já… é que o verão está quase a chegar e o tempo livre dos próximos meses será passado na praia…

 

E não, nenhuma destas sugestões passa por ficar em casa ou passear por algum centro comercial…

 

1 – Saltar para combater o stress e a ansiedade

Em Carnaxide, no concelho de Oeiras, há um espaço com 3250 metros quadrados cobertos e mais de 100 trampolins onde poderá saltar e soltar toda a ansiedade e stress de uma semana de trabalho. O Bounce, chegou a Portugal há relativamente pouco tempo, mas é já um sucesso. É a atividade ideal para fazer em família ou com amigos e passar uma tarde entre quatro paredes tão divertida que vai esquecer da chuva que cai lá fora. Os preços começam nos 12 euros por hora. Apesar de não ser em Lisboa, fica a poucos minutos de distância se for de carro.

 

2 – Biblioteca&Livrarias

Se gosta de ler, aproveite os dias de mau tempo para visitar uma biblioteca ou livraria de Lisboa que não conheça. A minha livraria preferida fica no Lx Factory, chama-se Ler Devagar e é muito mais do que espaço com livros. É ampla, as paredes estão cobertas de livros até ao tecto, há uma bicicleta voadora, um enorme escadaria, antigas máquinas de impressão e até dois bares onde pode beber café enquanto lê um livro. Mas por toda a cidade há dezenas de bibliotecas e livrarias para passar tempo é só escolher a que prefere aqui ou aqui.

 

3 – Passear pelo mundo subaquático

DSC02798.JPG

Visitar o Oceanário de Lisboa, no Parque das Nações, é outra boa opção para fazer num dia chuvoso. É uma atividade para famílias (15€/pessoa), mas que também pode ser muito romântica para os casalinhos que procuram em todo o lado um cantinho escuro para trocar um beijo apaixonado. Já escrevi sobre o Oceanário no Perdida por Lisboa. Veja aqui: O maior Oceanário da Europa

 

4 – Testar a elasticidade

Sabe aqueles filmes onde um assaltante aparece a roubar um objeto de valor de um local de alta segurança? Onde há raios infravermelhos a cobrir toda a sala de linhas florescentes e onde o criminoso tanto tem de alçar a perna como rastejar? Agora já pode experimentar esta adrenalina e testar toda a sua elasticidade no LaserMaze, do Centro Playbowling Cascais. Cada tentativa de resgatar um diamante sem ser detectado custa 2 euros.

 

5 – Cinema

Ir ao cinema é sempre uma boa opção em dias de chuva. É só escolher o filme, a sala mais próxima e o horário que prefere. Ocupa cerca de 2h00 do seu dia e ainda pode comer umas deliciosas pipocas

 

6 – Conhecer um Museu

Tal como já tinha indicado no post 10 coisas para fazer sozinho em Lisboa, a capital tem dezenas de museus à espera de uma visita sua. Basta escolher o que vai de encontro com os seus gostos, ver os horários e visitar. O MAAT é dos mais recentes e mais procurados.

 

7 – Bowling

bowling (1).jpg

                                                                                                                                                                                                Crédito foto:Visual Hunt

Todos os dias a partir das 12h00 pode testar a sua pontaria na Bowling City do Centro Comercial Colombo ( a partir dos 3.80€ por hora/pessoa para o primeiro jogo e 2.80€ para os jogos seguintes).

 

8 – A moda dos Quiz

Cada vez mais bares de Lisboa estão a aderir à moda dos Quiz. Beber um copo e conviver com amigos enquanto participa numa competição de cultura geral é o plano perfeito para uma noite de chuva. No site do Quiz Portugal pode saber onde e quando pode jogar.

 

9 – Bingoooooooo

O Bingo do Belenenses, na Av. João Crisóstomo, é dos mais conhecidos da capital, tem 600 lugares e é a maior sala da Península Ibérica onde se grita Bingo. Mas há muitos outros locais onde pode passar o seu tempo livre a brincar com a sorte enquanto risca cartões com números. Veja aqui

 

10– Música ao vivo

Outra boa atividade para não passar as noites de chuva em casa é ir até um bar onde há música ao vivo. Às quintas-feiras o Templários é uma boa opção, mas há muitos bares espalhados pela capital onde pode ouvir boa música. É só fazer uma pequena pesquisa na internet pela área ou estilo musical que preferir.

03
Mai17

Um restaurante muito pouco Clandestino

NNC

 

De Clandestino só poder mesmo ter o nome pois é impossível não dar por ele. A decoração, uma autêntica obra de arte, chama a atenção de quem passa no cimo da rua da Rosa, no Bairro Alto, em Lisboa, e a fila de espera dá-nos a certeza de estar perante um dos restaurantes mais procurados da zona.

 

Lá dentro, o ambiente é quente e descontraído, digno de um bar-restaurante da América Latina. O espaço é lindíssimo, com um pé direito encantador e pormenores de decoração muito bem escolhidos. Logo à entrada uma instalação gigante que recria a favela do Vidigal, do Rio de Janeiro, Brasil, com caixas de madeira de várias cores. Uma criação brutal dos irmãos Bete e Gezo Marques. Contudo, a minha atenção perde-se antes de conseguir olhar para as outras paredes. Pessoas a falar alto, a música, o eco… infelizmente o El Clandestino é bastante barulhento, tanto que se tornou difícil manter uma conversa durante o jantar.

 

Mas vamos à carta. Foi criada pelo chef consultor António Amorim e é confecionada pelo chef Fábio Sobral – que trabalhou em Londres, no Lima, um estabelecimento peruano galardoado com uma estrela Michelin – alia os sabores do México e do Peru. Dois países, que apesar de separados por mais de quatro mil quilómetros, têm paladares que ligam perfeitamente, como provam os 8 tacos e os 6 ceviches disponíveis na carta do El Clandestino.

 

O ideal será partilhar com amigos várias entradas e pratos principais porque a quantidade de cada um é reduzida. Os Totopos (4.5€) e o Ceviche Peruano (9.5€) estavam deliciosos, mas os Tacos SoloMillo (9.5€), além de não encherem a barriga nem a uma criança, não estavam nada de especial e não tinham nem guacamole nem feijão. A sobremesa também não me conquistou. Apesar de ter bom aspecto a Bomba de Chocolate (5€) - um bolo de chocolate quente servido com mousse de chocolate, amendoim caramelizado e espuma de pimento e malagueta – era demasiado pequena para o preço e a espuma não parecia estar bem conseguida.

 

Quanto às bebidas. Aiiii a sangria (18€)! Apesar dos empregados terem-se enganado na sangria que pedimos, estava ótima, assim como as margaritas (5.5€) e o pisco sour (6.5€). O bar está à conta do chef Bruno Veiga e é um sucesso. Vale a pena passar pelo El Clandestino nem que seja só para beber um “copo”.

 

Um último apontamento para os empregados de mesa. Apesar de simpáticos são um pouco desorganizados e apressam-nos. Nem tínhamos acabado a entrada e já estavam a trazer os pratos principais sem sequer trazer a sangria e começaram a tirar os pratos da nossa mesa sem todas as pessoas terem terminado a refeição.

 

Informações:

Facebook El Clandestino

Horário:Todos os dias das 18h30 às 2h00

Morada: Rua da Rosa, 321, Bairro Alto / Príncipe Real

 

El Clandestino Menu, Reviews, Photos, Location and Info - Zomato

 

Através da MyGon pode saber mais e ver se há promoções disponíveis neste espaço aqui

 

Quem é a 'Perdida'?

Perdida nas redes

Perdida no Facebook

Perdida na Zomato

Vê a minha história gastronómica na Zomato!

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Follow