Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Perdida por Lisboa

A capital vista pelos olhos de uma açoriana...

Perdida por Lisboa

10
Set17

Até Madonna se perdeu de amores por Lisboa

NNC

Lisboa (2).jpg

 

“Como é que foste capaz de deixar o sossego dos Açores e vir para a selva?”

 

É uma pergunta que me fazem mais vezes do que esperava… Mas de tantas vezes já ter retorquido, a resposta já está na ponta da língua: “sou como o Marco Paulo, tenho dois amores”. É uma resposta curta  (e um bocado parva...) eu sei, mas é a melhor e mais sincera explicação que posso dar.

 

Tenho orgulho em ser ilhéu e em ser natural do arquipélago mais bonito do mundo e ao qual dou cada vez mais valor, não só pelas paisagens deslumbrantes (algumas das quais já vos mostrei aqui), mas também pela qualidade de vida que se vive na região. O sossego e a paz que se vive nos Açores são difíceis de encontrar noutro lugar.

 

Mas como não apaixonar-me por Lisboa?

Em 1998 vim a Lisboa e foi amor à primeira vista. Muito antes de a nossa capital estar moda já eu desejava com todas as forças viver aqui. Não tinha percepção de quão caro é viver nesta cidade, do trânsito, da falta de lugares para estacionar, da loucura do dia-a-dia, do quão pode ser frustrante ver alguns amigos de meses a meses e de não conseguir fazer nem 1% do que a cidade oferece… mas como não gostar de um lugar que nos presenteia com 220 dias de sol por ano, que tem uma luz fantástica (que se torna ainda mais encantadora ao pôr-do-sol), que a cada canto esconde uma história e uma novidade, que têm 1001 programas para 1001 pessoas diferentes, que todos os dias vive intensamente com eventos que preenchem as ruas, que é livre e deixa-nos ser quem somos?

 

Lisboa é tudo isto e muito mais. Eu não deixei os Açores, apenas optei por ter dois lares muito diferentes e distantes. Vou ser sempre açoriana… mas o meu coração é também alfacinha. E isto não é estranho… até a Madonna, que é a Madonna… se perdeu de amores por Lisboa, não é verdade?!

 

 

Lost in Lisbon........ 😍🇵🇹

Uma publicação partilhada por Madonna (@madonna) a

 

 

Segue-me nas redes sociais:

Facebook | Instagram

 

20
Mar17

O melhor bolo do mundo é Rosa Choc

NNC

 

Conheci a Rosa Choc no Mercado do Chocolate de 2017, no Campo Pequeno, e fiquei maravilhada mal vi a banca. De um lado ao outro do balcão os produtos mais fofos. Expostos com delicadeza e feitos com amor.

 

A Rosa Choc – Confeitaria de Chocolate nasceu da junção de várias paixões de Paola Giannone. A empresária brasileira apaixonou-se pelo chocolate com o pai, que é chefe de cozinha no Brasil, pela estética com a mãe, que sempre trabalhou em moda, e, mais recentemente, por Lisboa, onde acabou por se render, não só aos encantos da capital portuguesa, mas também ao homem da sua vida.

  

O resultado da união destes amores é uma empresa com produtos confecionados com o melhor chocolate belga, onde a inovação, o sabor e a decoração convivem em harmonia.

 

Há brownies com bolacha oreo, bolo red velvet húmido e saboroso, bolachas americanas, brigadeiros gourmet, e até cupcakes.

 

Todos os anos, no dia do meu aniversário, a minha mãe faz questão de me oferecer um bolo. Este ano, quando ela perguntou onde devia encomendar, não tive dúvidas. Sugeri a Rosa Choc e ela encomendou-me o melhor bolo que já comi até hoje: red velvet com nutella e frosting de framboesas (primeira imagem da fotogaleria). Confeccionado na perfeição e com uma decoração linda. Quem provou, adorou!

 

No site www.rosachoc.pt pode encomendar estes e outros doces e ainda escolher a sua decoração preferida, que pode incluir deliciosas flores feitas à mão.

 

A Rosa Choc costuma marcar presença em eventos, mercados e feiras da especialidade que são sempre anunciados no Facebook.

 

Saiba mais sobre a Rosa Choc no meu artigo publicado no site do Correio da Manhã aqui 

 

29
Mar15

A nova Ribeira das Naus

NNC

 

Entre o Terreiro do Paço e o Cais do Sodré localiza-se uma das minhas zonas preferidas de Lisboa.

 

A nova Ribeira das Naus foi inaugurada no verão de 2014, mas já antes era frequentada por amigos à procura de um lugar com “boa onda” ou por apaixonados que, agarradinhos, vêem o pôr do sol.

 

Ao fim de semana, as mesas do quiosque são poucas para tantas pessoas que por aqui passeiam, mas tem sempre o jardim ou as escadinhas à beira-rio onde pode colocar a conversa em dia enquanto ouve alguns acordes dos artistas de rua que por lá passam.

 

Apesar de ser um passeio bonito a qualquer hora do dia, as minhas horas preferidas são ao final do dia para apreciar o pôr do sol no Tejo ou, no verão, à noite para apreciar a lua, as estrelas e a companhia.

 

Ah! E é o local que é ideal para um primeiro encontro ;)

Quem é a 'Perdida'?

foto do autor

Perdida nas redes

Perdida no Facebook

Perdida na Zomato

Vê a minha história gastronómica na Zomato!

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Follow