Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Perdida por Lisboa

A capital vista pelos olhos de uma açoriana...

Perdida por Lisboa

02
Dez19

10 coisas que precisas mesmo conhecer na vila de Sintra

Sintra.jpg

Adoro Sintra! Principalmente nesta altura do ano, em que as cores outonais dos seus jardins se misturam, muitas vezes, com uma misteriosa neblina que dá ainda mais encanto aos castelos e palácios recheados de lendas e assombrações. Além disso, em ‘Cintra’, como se escrevia antigamente, há recantos cheios de sabores que dão à vila um sabor diferente. O melhor disto tudo? Fica apenas a 30 minutos de comboio de Lisboa e o bilhete custa 5 euros (ida e volta).

 

Se optares por ir de carro, conta com poucos lugares para estacionar (e pagos) e alguma confusão. Contudo, teres um veículo próprio facilita a chegada ao Palácio da Pena e Castelo dos Mouros.

 

News museum

News.jpg

É um museu dedicado às notícias e à comunicação social. Em cada um dos três andares do edifício são recordados momentos que marcaram a história de Portugal e do Mundo, sempre através da cobertura jornalística. A abordagem é interativa e permite ao visitante não só ver, como também ter a experiência de gravar uma peça televisiva ou radiofónica. Os bilhetes custam entre 3.5€ e 8€. Clica aqui para ver os horários.

 

Parque e Palácio de Monserrate

Estas obras são consideradas por muitos uma das mais belas criações arquitetónicas e paisagísticas do romantismo em Portugal. O Palácio combina influências góticas e indianas, com sugestões mouriscas, motivos exóticos e vegetalistas que se prolongam até ao parque. Já aí encontras espécies de plantas que vieram um pouco de todo o mundo e que fazem deste um dos mais ricos jardins botânicos portugueses. Os preços variam entre 6.5€ e 8€. Vê os horários aqui.

 

Castelo dos Mouros

Apesar de só restarem ruínas do castelo, daqui observas uma paisagem única que se estende entre penedos e penhascos até ao oceano Atlântico. A fortificação foi construída por volta do século X, após a conquista muçulmana da Península Ibérica e abandonada depois da conquista cristã em Portugal. O caminho para lá inclui uma das subidas mais íngremes da Serra de Sintra. O meio de transporte mais recomendável é o autocarro turístico 434, que pode apanhar junto à estação de comboios de Sintra. O preço varia entre 6.5€ e 8€. Para saberes mais clica aqui.

 

Café Saudade

saudade.jpg

É para mim o melhor café de Sintra. E é claro que eu não sou a única a achar isso porque ao fim de semana, normalmente, há fila de espera. Mas vale a pena esperar. Tem os maiores e melhores scones que já provei, salas e recantos encantadores, palavras e pormenores que nos derretem o coração e muito, muito mais. Há sandes, tostas, brunch, bolos e até refeições saudáveis. É o spot ideal para parar antes de iniciar o passeio por Sintra e para voltar a parar no fim da caminhada.

 

Casa do Fauno

Esta associação cultural fica localizada no coração da serra de Sintra. Além de promover cursos, workshops e eventos muito interessantes tem um pub medieval aberto ao publico. O espaço é rústico e acolhedor e tem umas bebidas ‘medievais’, como hidromel e licores artesanais, ótimas. 

 

Palácio Nacional da Pena (e Parque)

Situado no Monte da Pena, este Palácio é um dos maiores exemplos do revivalismo romântico do século XIX em Portugal. Foi fruto da imaginação de D. Fernando de Saxe Coburgo-Gotha, que casou com D. Maria. Os seus jardins escondem plantas exóticas, grutas, lagos e até uma capela. Já o interior está decorado ao gosto dos reis que lá viveram.

Hoje é considerado uma das Sete Maravilhas de Portugal.

Tanto o Parque como o Palácio estão abertos entre as 10h00 e as 18h00, só que a última entrada do Parque é às 17h00 e a do Palácio às 17h30. O bilhete que combina Palácio mais Parque custa 14€.

 

Palácio Nacional

Este monumento, também conhecido como Palácio da Vila, foi uma casa real e hoje é propriedade do Estado Português, que o utiliza para fins turísticos e culturais.

Curiosidades: Foi aqui que D. Manuel recebeu a notícia da descoberta do Brasil, que D. Afonso V nasceu e morreu, que D. Afonso VI foi encarcerado e que D. João II foi tornado Rei.

Aberto das 9h30 às 18h00 (última entrada às 17h30). O bilhete custa entre 8.5€ e 10€.

 

Casa Piriquita

É um dos pontos obrigatórios de Sintra. Uma padaria com mais de 100 anos, conhecida pelos seus deliciosos bolos tradicionais, como as Queijadas ou Travesseiros de Sintra.

 

Uma voltinha de elétrico

É um dos ex-líbris de Sintra. Liga a Vila à Praia das Maçãs desde 1904. O percurso, de cerca de 13 km, dura cerca de 45 minutos e é encantador. Consulta os horários aqui.

 

Quinta da Regaleira

Quinta.jpg

É o lugar mais místico e romântico de Sintra e também o meu preferido. Tem mil e um recantos por descobrir, cheios de estórias e mistério. A cada caminho, a cada descoberta, conseguimos imaginar tantas histórias de amor que por aqui aconteceram, assim como bruxarias e até reuniões ultrassecretas.

Foi construída entre 1904 e 1910. Durante mais de dois séculos foi habitada por ilustres famílias portuguesas. António Augusto, distinguido pelo rei D. Carlos I como Barão Almeida, foi o primeiro proprietário. Pelo traço do arquiteto italiano Luigi Manini, Barão Almeida, deu a esta quinta de quatro hectares, o palácio da Regaleira, rodeado de luxuriantes jardins, lagos, grutas, poços e construções enigmáticas que escondem significados alquímicos, como os evocados pela Maçonaria, Templários e Rosa-Cruz. A arquitetura é romântica, gótica, renascentista e manuelina e muito, muito romântica. Além de claro, instagramável.

Além dos lindíssimos jardins, que no outono ganham umas cores ainda mais bonitas, e do Palácio da Regaleira, esta Quinta esconde vários segredos. Tem uma pequena capela, uma cascata, vários túneis escondidos. Mas o que desperta mais curiosidade nas pessoas é o Poço Iniciático, uma torre invertida que recebeu esse nome por se suspeitar que era usada em rituais de maçonaria e bruxaria.

Se é verdade ou não, fica a dúvida. O que se sabe é que esta galeria subterrânea tem uma escadaria em espiral, sustentada por colunas esculpidas, por onde se pode descer até ao fundo do poço. A escadaria é constituída por nove patamares, separados por lanços de 15 degraus cada um. Uma clara referência à Divina Comédia de Dante e aos seus nove círculos do Inferno, Paraíso e Purgatório.

É um lugar místico, sem dúvida, e que dizem unir o céu e a terra, ou melhor o paraíso e o inferno.

Os bilhetes custam entre 5€ e 8€. Clica aqui para veres os horários.

 

Segue-me nas redes sociais:

Facebook | Instagram

16
Nov19

Fãs de cachorros-quentes este post é para vocês

Se és como eu e és fã de cachorros-quentes vais gostar de saber que agora já podes comer esta especialidade em dois centros comerciais de Lisboa.

 

Depois da experiência no Príncipe Real, o Cachorro à Portuguesa abriu no Strada Outlet, em Odivelas, e, mais recentemente, no Oeiras Parque. Além do pão com salsicha, os cachorros desta empresa vão buscar vários sabores tradicionais portugueses.

 

O Cachorro Tripeiro tem o molho de francesinha, o Saloio tem ovos e farinheira, o Zé da Horta cebola crocante. Há ainda opções vegetarianas, palitos de batata doce, sumos naturais e várias sobremesas.

 

Recentemente fui a Oeiras e provei o Mania do Bacon e o Saloio. Gostei muito da salsinha e das combinações. O sumo natural era fantástico e as batatas-fritas doces também. Não achei muita piada foi à espuma de pastel de nata, mas talvez porque não sou muito apreciadora da textura das espumas.

 

O staff que estava a trabalhar na loja do Oeiras Parque foi muito simpático e profissional.

 

Quanto à decoração, achei que estava apropriada a um centro comercial. É chamativa, sem ser demasiado vulgar.

 

Informações:

Preço Médio: 20 € para duas pessoas

Horário: 10h00 às 23h00

Morada: Oeiras Parque (Oeiras)

 

Cachorro à Portuguesa Menu, Reviews, Photos, Location and Info - Zomato

Segue-me nas redes sociais:

Facebook | Instagram

 

29
Out19

10 coisas para fazer no Halloween em Lisboa

colton-sturgeon-vCwDaokIR90-unsplash.jpg

                                                                                                                                                                           Photo by Colton Sturgeon on Unsplash

Na quinta-feira dia 31 de outubro assinala-se mais um Halloween e como já é tradição deixo aqui 10 sugestões para fazeres em Lisboa no dia mais assustador do ano.

 

Halloween Parade – Se gostas de te fantasiar podes participar no maior desfile do País dedicado ao Dia das Bruxas.  A participação é gratuita e quem tiver os melhores fatos vai receber prémios. Além disso, o evento conta com muitas surpresas, petiscos e animação.

Horário: A partir das 20h

Onde: Areeiro (Av. Guerra Junqueiro, Praça de Londres, Av de Roma, Av. João XXI, Av Paris)

 

Dia de Los Muertos – Como já é habitual, o Evolution Hotel está a preparar uma noite muito especial (e de entrada livre) para o dia 31 de outubro. Além da música, há um cocktail temático e um tatuador no local.

Horário: A partir das 19h

Onde: Saldanha

 

Brunch Electonik (muito assustador)10 horas de festa, com vários Djs, inclusive a russa Nina Kravitz, fundadora da label Trip.

Preço: De 15€ a 50€

Horário: 22h – 8h

Onde: Pavilhão do Rio, no Centro de Congressos de Lisboa

 

Halloween Lisbon Festival 2019 – Uma festa de arrepiar, cheia de surpresas e muitos artistas.

Preço: De 15€ a 25€

Horário: A partir das 22h

Onde: Pavilhão Carlos Lopes (Parque Eduardo VII)

angela-wolz-T6c2p6O5-ok-unsplash.jpg                                                                                                                          Photo by Angela Wolz on Unsplash

Fiesta de Los Muertos –  Veste-te a rigor e prepara-te para uma horripilante noite de surpresas na Fábrica Braço de Prata.

Preço: 10€

Horário: Das 20h às 04h00

Onde: Marvila

 

Fox Horror Stories: Halloween Party – Para além de muitos sustos e de duas salas de terror, nesta festa haverá muita música com a presença do DJ Vasco Alves, Supa Sqquad e Dj Kamala. A entrada na festa – apenas para maiores de 18 anos – está sujeita a convite, disponível através de passatempos realizados na página de Facebook da Fox.

Horário: Das 23h às 4h

Onde: Palácio de Exposições da Tapada da Ajuda

 

Halloween Run Party – Runner esta é para ti. As inscrições para esta corrida (de 6 km ou de 3 mil metros) já estão abertas, por isso, corre!

Preço: Dos 4€ aos 12€

Horário: 21h30

Onde: Estádio Universitário de Lisboa

 

Jardim Zoológico – Para assinalar o Halloween, o Zoo de Lisboa convida toda a família, no dia 1 de novembro, a descobrir as histórias mais assustadoras desta época. As crianças até aos 12 anos não pagam entrada neste dia, se forem acompanhadas por dois adultos e mascaradas.

Horário: 10h00 às 18h00

Onde: Sete Rios

 

Festa de Halloween na Princelandia – Três horas de festa para os mais pequenos, que inclui uma oficina de monstros em pasta de açúcar, pinturas faciais, um desfile de máscaras com música e comida à mistura.

Preço: 25€

Horário: Das 18h às 21h

Onde: Lumiar

 

Lust in Rio – Esta conhecida discoteca de Santos vai ter uma festa de Halloween dedicada à Pegadinha, com funk brasileiro e figurantes com fantasias aterrorizantes, entre os quais um Joker.

Preço: 10€ (com direito a bebida) se chegar antes da 1h30 e se se increver na guestlist; 15€ se quiser ter entrada prioritária.

Horário: 00h às 6h

Onde: Santos

Segue-me nas redes sociais:

Facebook | Instagram

 

15
Out19

O italiano de Lisboa do britânico Jamie Oliver

Desde que abriu que queria visitar o restaurante do Jamie Oliver no Príncipe Real, em Lisboa, mas só agora, quase dois anos depois, é que consegui fazê-lo. No início ainda tentei reservar, mas era impossível. Depois foi caindo no esquecimento. Felizmente, numa sexta-feira de setembro, lá consegui reservar para o mesmo dia.

 

O Jamie’s Italian Lisboa é muito bonito. Bem decorado. Em estilo italiano urbano. Com várias salas e dois terraços. O staff é ótimo. Escolhido a dedo. Desde o atendimento, via telefone para a reserva, passando pela receção, até ao jovem que nos servia à mesa. Todos fantásticos, simpáticos, atentos e profissionais.

 

 

Já quanto à comida tive ‘mix fellings’. Para entrada optamos pela Tomato Bruscheta e por Crispy Squid (lulas fritas com chili, alho&salsa servidas com maionese de alho). Estavam ambas divinais, mas as lulas são mesmo de outro mundo. Quanto aos pratos principais, ainda pensamos em comer as pizzas (que dizem ser muito boas), mas eu e o meu namorado preferimos escolher o Canellonni Al Forno, de ricota e espinafre com alho francês, tomate, manjericão e crème fraíche, e um risotto, cujo o nome não me recordo, mas era com tinta de choco, vieiras e camarão. Ambos os pratos estavam bons, mas não extraordinários.

 

Para sobremesa decidimos dividir o Cheesecake de limão com meregue italiano, lemon curd e compota de groselhas pretas. Estavam realmente muito bom e a fatia era tão grande (e cara) que dava para três pessoas.

 

Para acompanhar bebemos um vinho branco, dos mais baratos do menu. No fim, pagamos 64 euros. Um bocadinho exagerado para o que foi, não acham?!

 

Foi uma experiência gira, sim. Mas a voltar, será mesmo só pelas lulas.

 

*O famoso chef britânico abriu recentemente, também em Lisboa, a Jamie Oliver’s Pizzeria, na Rua do Loreto, no Bairro Alto. Este espaço ainda não experimentei, mas estou igualmente curiosa.

 

Informações:

Preço Médio: 30 € por pessoa

Horário: Aberto todos os dias das 12h00 às 23h00 (sextas e sábados até às 00h00)

Morada: Praça do Príncipe Real, 28 A/D

Jamie's Italian Menu, Reviews, Photos, Location and Info - Zomato

Segue-me nas redes sociais:

Facebook | Instagram

09
Out19

Amesterdão: canais, bicicletas e bolinha vermelha

Destaque.jpg

Fui a Amesterdão há dois anos, em novembro, e adorei! Tive lá quatro dias e três noites e achei suficiente. É uma cidade cara, mas linda demais! Fui com uma amiga e acho que foi a melhor opção porque, ao contrário da romântica Paris, esta é uma cidade para celebrar a amizade.

 

Com os feriados que aí vêm, esta é a viagem ideal para passar uns dias fora de Lisboa. Por isso, aqui ficam algumas dicas e o roteiro para três dias:

 

Voo - Compramos viagem com 2 meses de antecedência por cerca de 100€ (Ryanair) por pessoa.

Estadia - Esta é uma tarefa difícil. Passamos horas à procura de um hotel minimamente bom e dentro do orçamento. Procuramos no Booking e acabamos por reservar no Multatuli Hotel, o que foi uma boa opção. Fica perto da estação central (Amsterdam Centraal), do comboio (que vem e vai para o aeroporto) e numa zona central, tanto que andamos quase sempre a pé. É limpo, sossegado e com um pequeno-almoço bem razoável. Por 3 noites pagamos cerca de 200€.

Transportes - Se gostas de andar de bicicleta ou a pé, Amesterdão é a cidade perfeita para ti. Nós compramos, um cartão (I Amesterdam City Card) para 72 horas (vão de 24h a 120h e de 60€ a 115€). Utilizamos muito pouco em transportes, mas acabou por compensar porque dá acesso gratuito a quase 50 museus (vê aqui quais), passeios de barco e desconto em vários restaurantes.

Tempo - Amesterdão é uma cidade fria e chuvosa! Mas mesmo com chuva a cidade não pára. Por isso, leva luvas, cachecol, botas, casacos quentes, um guarda-chuva e entra no espírito.

 

Outras dicas:

  • Cuidado com as ciclovias. Os ciclistas detestam os peões que invadem o seu espaço.
  • Atenção! Nas Coffee Shops é legal a venda e consumo de canábis e haxixe, mas não podes beber álcool nem fumar tabaco.
  • Os holandeses não gostam que se reduza Amesterdão a sexo e drogas e, na verdade, esta cidade é muito mais do que isso.

 

Dia 1

Central Station

bikes.jpg

Tal como o nome indica é a estação central de Amesterdão. Aqui podes apanhar comboio, metro, autocarro, elétrico, barco e até bicicleta. A partir daqui podes ir para toda a cidade. Aproveita para ver o túnel futurista na Cuyperspassage que liga o centro da cidade às águas do rio Amstel.

 

Red Light District

É a rua mais famosa de ‘Amsterdam’ e tu sabes porquê. Deves é estranhar sugerir esta atividade logo pela manhã. Mas passo a explicar. É giro ver que a qualquer hora do dia encontras sexshop abertas com vibradores XXL, lojas para todas as fantasias (até com piaçabas na testa), um espaço que vende preservativos para todos os gostos e feitios (Condomerie) e mais de 900 prostitutas em cerca de 300 montras.

 

 

Damrak

É a principal avenida da cidade e vai da Cental Station à Dam, a praça mais importante de Amesterdão e onde foi criada a capital holandesa. Na praça tens o Monumento Nacional e o Palácio Real. 

 

Casa de Anne Frank (10.50€)

Fiquei um pouco desiludida com este museu. Não me emocionei como quando li o ‘Diário’. Contudo, dá para perceber o quão pequena era a casa - onde a família judia se escondeu dos nazis, durante dois anos, na II Guerra Mundial -  e ver o diário original de Anne Frank. O melhor é adquirires os bilhetes online, com antecedência. Assim marcas logo a hora de entrada e evitas filas.

 

Jordaan

É um dos bairros mais antigos e pitorescos de Amesterdão. Aqui vês muitos artistas, estudantes e bons cafés. Aprecia e perde-te sem pressa. Não te esqueças é de passar pelas 9 Straatjes, ou seja, por 9 características ruas recheadas de lojas que vendem desde roupa a queijos.

 

Kalverstraat

É a rua mais comercial e movimentada da cidade. Ideal para fazer compras.

 

Amsterdam Museum (15€)

Aqui podes ficar a conhecer o Passado, Presente e Futuro de Amesterdão. O museu, instalado num edifício que já foi um orfanato, está aberto todos os dias das 10h às 17h.

 

Oude Kerk (12€)

Esta é a ‘Igreja Velha’, construída em 1302 e o edifício mais antigo da cidade. Das suas vitrines consegues ver as meninas nas montras do Red Light District. O templo é dedicado a São Nicolau, patrono de ‘Amsterdam’ desde XVI. Aqui tens um impressionante órgão e túmulos de várias pessoas emblemáticas, mas não tens decoração praticamente nenhuma. Horários e bilhetes aqui.

*Amesterdão tem várias estátuas curiosas. Uma fica mesmo junto a esta igreja. É uma mão a apalpar um seio, em bronze, que surgiu em 1993, mesmo no meio dos paralelepípedos da rua.

 

Sex Museum (5€)

sex.jpg

 

É o museu mais divertido de Amesterdão e o meu preferido. Tem fotos, vídeos e estátuas interativas bizarras que te vão fazer rir muitooo. Está aberto todos os dias das 9h30 às 23h30.

 

Red Light District

Já de noite, volta aqui. Bebe um copo enquanto observas o ambiente. Mas atenção! Não tires fotos que podes ter problemas com os seguranças. Aproveita e dá um saltinho ao Museu da Prostituição (12h00 às 00h00) onde poderás conhecer mais sobre este emprego, que nos Países Baixos é legal desde 1911. Por 10€, podes ainda ouvir o testemunho de mulheres que entraram na profissão mais antiga do mundo e experimentar a sensação de estar numa destas montras.

 

Dia 2

tulipas.jpg

 

Começa a manhã a passear pela ‘Veneza do Norte’ a pé ou de bicicleta. Uma das minhas partes preferidas foi mesmo esta. Percorrer alguns dos cerca de 100 km de canais e ver algumas das mais de mil pontes que Amesterdão tem. Observar as lindas janelas, as portas arranjadinhas, as mais de 2500 casas flutuantes, lar de milhares de pessoas. Enfim…Viver a cidade.

 

Museumplein

Esta praça é um dos mais importantes pontos turísticos da cidade. Aqui ficam os três principais museus da Holanda e, até o ano passado, o famoso I’ Amsterdam’, retirado por ser uma “representação do turismo de massas”.

  • Rijksmuseum, aka Museu Nacional (19€) - É o principal museu de arte do país, com obras desde a Idade Média até ao século XX. Aberto todos os dias das 9h00 às 17h00.
  • Museu Van Gogh (19€) - Aqui podes ver mais de 200 quadros e 550 desenhos deste artista que tinha tanto de génio como de ‘má sorte’. Toda a vida sofreu de surtos psicóticos e enquanto foi vivo apenas vendeu um quadro, acabando por se suicidar aos 37 anos. Horários aqui.
  • Stedelijk, aka Museu de Arte Moderna (18.50€) - É um dos mais inovadores museus de arte moderna da Europa. Tem uma interessante coleção de fotografia, obras de arte interativas e um jardim esculpido. Podes comprar os bilhetes online e ver os horários aqui.

 

Voldenpark

parque.jpg

Depois de almoçares no Cobra Café, junto ao Museu Nacional, nada melhor do que um passeio pelo mais famoso parque da Holanda. Além dos espaços verdes, tem vários lagos com patos, pontes de madeira, coretos e até um restaurante. Foi um dos meus sítios preferidos de Amesterdão.

 

Leidseplein

Um dos locais mais animados da cidade. Há bares, restaurantes, discotecas e teatros. Atenção ao Teatro Municipal, Casino da Holanda e ao jogo de Xadrez gigante.

 

Mercado das Flores

Fica na margem do canal Singel e tem mais de 140 anos. Lá vais encontrar cerca de 20 postos flutuantes onde além de tulipas, vendem-se outras flores e souvenirs. Está aberto de segunda a sábado das 9h às 17h.

 

Albert Cuypmarkt 

Albert.jpg

Esta feira, no bairro de Pijp, acontece há mais de 100 anos, de segunda a sábado, das 9h30 às 17h00. O meu conselho é que não vás muito tarde, nem debaixo de chuva. Tem umas stroopwafels maravilhosas feitas no momento!

 

Heineken Experience (18€)

Exposição interativa dedicada à história e ao mundo que rodeia esta famosa marca de cerveja. Além de ficares a conhecer tudo sobre o processo de fabricação da cerveja podes participar em jogos e beber Heineken. Vale mesmo a pena a visita! Aberto das 11h às 19h.

 

Dia 3

Moinho ‘De Gooyer’

IMG_6404.JPG

Mesmo na cidade, mas não no centro, podes ver o moinho de madeira mais alto da Holanda. Tem 26.6m de altura e está registado como Monumento Nacional. Não sei se dá para visitar o seu interior, o que sei é que fica ao lado de uma ótima cervejaria artesal, a ‘Brouwerij’t.

 

A’DAM Lookout (13.50€)

Aqui tens a melhor vista de Amesterdão e podes vê-la enquanto andas num baloiço suspenso a 80 metros de altura. A torre A’DAM (Amsterdam Dance and Music) existe desde 1971, mas o baloiço foi inaugurado há dois anos. Para lá chegares precisas apanhar um ferry gratuiro na Centraal Station. Além da entrada, se quiseres andar de baloiço pagas mais 5€. Na compra do bilhete tens direito a andar num elevador super divertido e a uma fotografia dinâmica.

 

Observar Amesterdão a partir dos canais

Barco.jpg

 

 

Não podes sair de ‘Amsterdam’ sem fazer um cruzeiro pelos canais da cidade. Há imensas empresas a fazer destas viagens negócio e diferentes tipos de cruzeiros. Há inclusive viagens com jantar e bar aberto incluído. Nós optamos pelo passeio mais simples por 15€.

 

Gastronomia e outras cenas:

  • Tens mesmo de experimentar: croquetes, batatas fritas de rua, tarte de maçã e cervejas
  • O Leidseplein é o ponto mais quente da noite. Tem bares, discotecas e coffeshops
  • Quanto às coffeshops, os holandeses não recomendam o Buldog. É para turista ver
  • A melhor tarte de maçã (Appelgebak ou appeltart): Winkel 43, em Jordaan
  • Stroopwafel artesanais: Albert Cuymarkt
  • Restaurante típico: Moeders (20€). É aconselhado fazer reserva
  • Restaurante económico: La Place (buffet com vários preços das 10h às 20h)
  • Os melhores croquetes: Cobra Café
  • As melhores (e maiores) panquecas: Pancake Bakery. Há doces e salgadas e o melhor é dividir.



    Segue-me nas redes sociais:

    Facebook | Instagram

Quem é a 'Perdida'?

Perdida nas redes

Perdida no Facebook

Perdida na Zomato

Vê a minha história gastronómica na Zomato!

Perdida pelo Instagram

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.