Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Perdida por Lisboa

A capital (e outros destinos) pelos olhos de uma açoriana...

Perdida por Lisboa

A capital (e outros destinos) pelos olhos de uma açoriana...

02 de Dezembro, 2019

10 coisas que precisas mesmo conhecer na vila de Sintra

Sintra.jpg

Adoro Sintra! Principalmente nesta altura do ano, em que as cores outonais dos seus jardins se misturam, muitas vezes, com uma misteriosa neblina que dá ainda mais encanto aos castelos e palácios recheados de lendas e assombrações. Além disso, em ‘Cintra’, como se escrevia antigamente, há recantos cheios de sabores que dão à vila um sabor diferente. O melhor disto tudo? Fica apenas a 30 minutos de comboio de Lisboa e o bilhete custa 5 euros (ida e volta).

 

Se optares por ir de carro, conta com poucos lugares para estacionar (e pagos) e alguma confusão. Contudo, teres um veículo próprio facilita a chegada ao Palácio da Pena e Castelo dos Mouros.

 

News museum

News.jpg

É um museu dedicado às notícias e à comunicação social. Em cada um dos três andares do edifício são recordados momentos que marcaram a história de Portugal e do Mundo, sempre através da cobertura jornalística. A abordagem é interativa e permite ao visitante não só ver, como também ter a experiência de gravar uma peça televisiva ou radiofónica. Os bilhetes custam entre 3.5€ e 8€. Clica aqui para ver os horários.

 

Parque e Palácio de Monserrate

Estas obras são consideradas por muitos uma das mais belas criações arquitetónicas e paisagísticas do romantismo em Portugal. O Palácio combina influências góticas e indianas, com sugestões mouriscas, motivos exóticos e vegetalistas que se prolongam até ao parque. Já aí encontras espécies de plantas que vieram um pouco de todo o mundo e que fazem deste um dos mais ricos jardins botânicos portugueses. Os preços variam entre 6.5€ e 8€. Vê os horários aqui.

 

Castelo dos Mouros

Apesar de só restarem ruínas do castelo, daqui observas uma paisagem única que se estende entre penedos e penhascos até ao oceano Atlântico. A fortificação foi construída por volta do século X, após a conquista muçulmana da Península Ibérica e abandonada depois da conquista cristã em Portugal. O caminho para lá inclui uma das subidas mais íngremes da Serra de Sintra. O meio de transporte mais recomendável é o autocarro turístico 434, que pode apanhar junto à estação de comboios de Sintra. O preço varia entre 6.5€ e 8€. Para saberes mais clica aqui.

 

Café Saudade

saudade.jpg

É para mim o melhor café de Sintra. E é claro que eu não sou a única a achar isso porque ao fim de semana, normalmente, há fila de espera. Mas vale a pena esperar. Tem os maiores e melhores scones que já provei, salas e recantos encantadores, palavras e pormenores que nos derretem o coração e muito, muito mais. Há sandes, tostas, brunch, bolos e até refeições saudáveis. É o spot ideal para parar antes de iniciar o passeio por Sintra e para voltar a parar no fim da caminhada.

 

Casa do Fauno

Esta associação cultural fica localizada no coração da serra de Sintra. Além de promover cursos, workshops e eventos muito interessantes tem um pub medieval aberto ao publico. O espaço é rústico e acolhedor e tem umas bebidas ‘medievais’, como hidromel e licores artesanais, ótimas. 

 

Palácio Nacional da Pena (e Parque)

Situado no Monte da Pena, este Palácio é um dos maiores exemplos do revivalismo romântico do século XIX em Portugal. Foi fruto da imaginação de D. Fernando de Saxe Coburgo-Gotha, que casou com D. Maria. Os seus jardins escondem plantas exóticas, grutas, lagos e até uma capela. Já o interior está decorado ao gosto dos reis que lá viveram.

Hoje é considerado uma das Sete Maravilhas de Portugal.

Tanto o Parque como o Palácio estão abertos entre as 10h00 e as 18h00, só que a última entrada do Parque é às 17h00 e a do Palácio às 17h30. O bilhete que combina Palácio mais Parque custa 14€.

 

Palácio Nacional

Este monumento, também conhecido como Palácio da Vila, foi uma casa real e hoje é propriedade do Estado Português, que o utiliza para fins turísticos e culturais.

Curiosidades: Foi aqui que D. Manuel recebeu a notícia da descoberta do Brasil, que D. Afonso V nasceu e morreu, que D. Afonso VI foi encarcerado e que D. João II foi tornado Rei.

Aberto das 9h30 às 18h00 (última entrada às 17h30). O bilhete custa entre 8.5€ e 10€.

 

Casa Piriquita

É um dos pontos obrigatórios de Sintra. Uma padaria com mais de 100 anos, conhecida pelos seus deliciosos bolos tradicionais, como as Queijadas ou Travesseiros de Sintra.

 

Uma voltinha de elétrico

É um dos ex-líbris de Sintra. Liga a Vila à Praia das Maçãs desde 1904. O percurso, de cerca de 13 km, dura cerca de 45 minutos e é encantador. Consulta os horários aqui.

 

Quinta da Regaleira

Quinta.jpg

É o lugar mais místico e romântico de Sintra e também o meu preferido. Tem mil e um recantos por descobrir, cheios de estórias e mistério. A cada caminho, a cada descoberta, conseguimos imaginar tantas histórias de amor que por aqui aconteceram, assim como bruxarias e até reuniões ultrassecretas.

Foi construída entre 1904 e 1910. Durante mais de dois séculos foi habitada por ilustres famílias portuguesas. António Augusto, distinguido pelo rei D. Carlos I como Barão Almeida, foi o primeiro proprietário. Pelo traço do arquiteto italiano Luigi Manini, Barão Almeida, deu a esta quinta de quatro hectares, o palácio da Regaleira, rodeado de luxuriantes jardins, lagos, grutas, poços e construções enigmáticas que escondem significados alquímicos, como os evocados pela Maçonaria, Templários e Rosa-Cruz. A arquitetura é romântica, gótica, renascentista e manuelina e muito, muito romântica. Além de claro, instagramável.

Além dos lindíssimos jardins, que no outono ganham umas cores ainda mais bonitas, e do Palácio da Regaleira, esta Quinta esconde vários segredos. Tem uma pequena capela, uma cascata, vários túneis escondidos. Mas o que desperta mais curiosidade nas pessoas é o Poço Iniciático, uma torre invertida que recebeu esse nome por se suspeitar que era usada em rituais de maçonaria e bruxaria.

Se é verdade ou não, fica a dúvida. O que se sabe é que esta galeria subterrânea tem uma escadaria em espiral, sustentada por colunas esculpidas, por onde se pode descer até ao fundo do poço. A escadaria é constituída por nove patamares, separados por lanços de 15 degraus cada um. Uma clara referência à Divina Comédia de Dante e aos seus nove círculos do Inferno, Paraíso e Purgatório.

É um lugar místico, sem dúvida, e que dizem unir o céu e a terra, ou melhor o paraíso e o inferno.

Os bilhetes custam entre 5€ e 8€. Clica aqui para veres os horários.

 

Segue-me nas redes sociais:

Facebook | Instagram

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.