Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Perdida por Lisboa

A capital (e outros destinos) pelos olhos de uma açoriana...

Perdida por Lisboa

A capital (e outros destinos) pelos olhos de uma açoriana...

17 de Novembro, 2017

Jardins da Gulbenkian: ar puro no meio da cidade

Sabia que no centro de Lisboa, bem perto do caos da Praça de Espanha, existe um jardim com 7,5 hectares que alberga dezenas de espécies de plantas, riachos e até um lago com patos? Pois é, existe mesmo e é o local ideal para tomar um café ou estudar/trabalhar enquanto descansa os pulmões da poluição da cidade.

 

Este jardim pertence à Fundação Calouste Gulbenkian, uma instituição portuguesa criada em 1956, que desenvolve várias atividades no campo cultura e da investigação científica e de ensino.

 

Além dos jardins e da sede da Fundação, este espaço alberga também o Centro de Arte Moderna José de Azeredo Perdigão, um museu, uma Biblioteca de Arte, um anfiteatro ao ar livre, espaços para exposições temporárias, uma zona de congressos, uma área de restauração e uma esplanada.

 

Apesar da importância inquestionável da Fundação, tenho de ser sincera. Ainda só usufrui dos jardins e estive nos espaços de restauração. Perco-me por este oásis de ar puro. Entre os pequenos riachos, o lago, as árvores e os patinhos…vê-se pessoas a estudar, namorar, conversar e até a treinar. É uma enorme fonte de paz e boas energias que nos ajuda a encarar o ritmo frenético da cidade.

 

Outra mais-valia deste jardim é que tem um percurso para pessoas com mobilidade reduzida. Faz-se pela ala nascente, ligando a entrada principal do edifício da Sede ao edifício da Coleção Moderna.

 

Todo este magnífico espaço foi projetado pelos arquitetos paisagistas António Viana Barreto e Gonçalo Ribeiro Teles.

 

Coordenadas

Avenida de Berna 45A

1067 – 001, Praça de Espanha, Lisboa

GPS

 Latitude: 38.715143 
 Longitude: 38.715143

Metro

Praça de Espanha

São Sebastião

Horário

Aberto todos os dias, do nascer ao pôr-do-sol.

Só encerra nos dias: 25 de dezembro, 1 de janeiro, domingo de Páscoa e 1 de maio.

 

Segue-me nas redes sociais:

Facebook | Instagram

03 de Novembro, 2017

SOI - Das ruas asiáticas para o Cais do Sodré

Inaugurou há apenas dois meses mas é já um dos espaços mais badalados de Lisboa. O SOI, o mais recente restaurante do grupo Sushi Café, oferece aos clientes uma carta inspirada nos melhores pratos do Street Food das principais cidades asiáticas, mas para comer sentado e degustar com calma.

 

A viagem pelo mundo oriental começa mal se entra no estabelecimento. A decoração moderna e industrial tem as luzes néon típicas destes países, papel de parede com motivos asiáticos de um lado e uma malha metálica de outro. No tecto, além dos candeeiros que parecem apenas lâmpadas, está pendurada uma bicicleta com um chapéu de palha vietnamita.

 

O menu está dividido entre entradas, saladas, baos, ramens, grelhados, wok e pratos de caril construídos por Maurício Vale. O Chef português estudou a gastronomia asiática mas também deixou que as panelas e os tachos do SOI tivessem algumas influências da américa do sul. De destacar as asas de frango panadas com farinha de arroz antes de serem fritas e servidas com molho coreano, os tacos de milho com caril de borrego, iogurte e caril, os pães bao com pato caramelizado com cebola frita e romã, o Green Thai Curry e a massa Udon com caranguejo.Um conjunto de pratos onde o picante, doce e ácido se juntam e nos aquecem a boca e a alma.

sobremesasebebidas (1).jpg

Para terminar, nas sobremesas há sorvetes, brownie de matcha com crumble de frutos secos e um delicioso Lemon Grass Burlê com biscoito de goiaba e várias especiarias indianas.

 

O SOI fica na Rua da Moeda, no Cais do Sodré, mesmo junto ao Segundo Muelle que já vos falei aqui. A média de preços está entre os 20 e os 25 euros por pessoa.

 

SOI Menu, Reviews, Photos, Location and Info - Zomato

 

 

Segue-me nas redes sociais:

Facebook | Instagram