Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Perdida por Lisboa

A capital (e outros destinos) pelos olhos de uma açoriana...

Perdida por Lisboa

A capital (e outros destinos) pelos olhos de uma açoriana...

07 de Maio, 2019

No Maxime Hotel, a vida é mesmo um cabaret

 

Se já ouviste falar do Maxime Dancing com certeza ficaste curioso com os segredos que te sussurraram sobre o que lá acontecia. Os anos de ribalta, na década de 50, de um cabaret de inspiração parisiense preenchiam Lisboa com atuações tanto de cantores e atores de renome como de alternadeiras espanholas. Com nível. Tanto nível que, apesar do declínio a partir de 1960, o Maxime nunca saiu da memória de quem lá prolongou as noites.

 

E foi a pensar nos tempos de glória e luxo, que o velho cabaret reabriu rejuvenescido, no final de 2018, pelas mãos do grupo Hóteis Real, no mesmo local onde sempre foi, na Praça da Alegria, em Lisboa. O sucesso do Maxime Hotel é o espelho de um projeto com reflexo no passado e presente. Manteve-se o espírito boémio, provocador e elegante, mas agora com uma alma renovada, contemporânea e irreverente.

 

bar4.jpg

 

Mas já basta de história. Vou contar-te como foi passar uma noite neste charmoso hotel, que é também sala de espetáculos e lugar de partilha de refeições.

 

Logo à entrada fui surpreendida com um peep show. A cortina esconde um misterioso cubículo com um pequeno buraco numa das paredes. Ao espreitar por ele, viajei no tempo até ao Maxime dos anos 50.

 

Mas a jornada pelo ‘pretérito perfeito’ deste glamoroso espaço não acaba aqui. Ao passar pela receção revivemos o antigo salão, transformado agora em sala de refeições e de espetáculos, e chegamos ao bar, que mantém o antigo balcão.

 

show2.jpg

Todos os dias servem-se aqui brunchs, almoços, jantares e cocktails. A experiência é escolhida ao gosto do cliente. Mas as noites Maxime Cabaret Show, todas as sextas-feiras, oferecem um match perfeito. É que além do extravagante espetáculo - com bailarinas que nos fazem rir ao mesmo tempo que despem sensualmente a roupa -, degustamos de um menu da autoria do Chef Luca Bordino.

 

A expedição gastronómica inclui uma entrada de foie gras com crumble de frutos secos e cogumelos, pickle de morango, merengue de morango, chutney de morango, malagueta e gengibre. Dois pratos principais, um de peixe e outro de carne e ainda uma sobremesa deliciosa: mousse de peanut butter com crumble de peanut butter e gelado de banana.

 

Se já estava feliz com a experiência, mal sabia eu o que me esperava. Subi no elevador que nos dá acesso aos 75 quartos e desci no andar reservado aos quartos temáticos. Todos os quartos estão decorados a rigor e com sensualidade, em homenagem às coristas e bailarinas que por aqui passaram, mas estes cinco são ainda mais especiais.

 

Há um quarto Burlesque, tal como o show que acabamos de assistir, um Bar Room, que combina jogos de casino com uma decoração mais masculina, para os mais arrojados e para uma noite de luxúria a escolha acertada é o Bondage, que esconde as fantasias mais ocultas e oferece algemas, chicotes e até baloiços, ou o Stage Room, onde os seus sonhos surgirão sobre uma cama redonda com luzes. 

 

Nós ficamos no Dressing Room que está decorado com espartilhos, leques, muitos espelhos e um quadro das irmãs bailarinas espanholas Carmem e Lola que nos olham sobre a confortável cama (fotogaleria no início do post).

 

Foi uma noite de luxúria a não esquecer… e repetir 

 

O preço do espetáculo mais jantar é de 55 euros. Se quiser apenas assistir ao show enquanto bebe um copo (incluído) o valor é de 20 euros. Já os quartos, começam nos 143 euros por noite para duas pessoas.

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.