Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Perdida por Lisboa

A capital vista pelos olhos de uma açoriana...

Perdida por Lisboa

11
Fev19

Roma, um museu a céu aberto

IMG_3282 (Editado).JPG

 

O ano passado fui festejar o aniversário a Roma. E tive uma prenda fantástica! Acordei com a cidade coberta de neve. Algo raro, que tornou a viagem ainda mais mágica. Mas mesmo sem neve, a capital italiana é um encanto. Um autêntico museu a céu aberto, cheia de história e com uma gastronomia fantástica e barata.

 

A cidade eterna, como é conhecida desde a época da Roma Antiga (acredita-se que independentemente do que aconteça no mundo, Roma continuará a existir), é um ótimo destino para um fim-de-semana prolongado. Segue o roteiro para três dias:

 

Dia 1

 

Fontana di Trevi (Metro linha A – Barberini)

IMG_3347.JPG

É um dos monumentos mais conhecidos e mais imponentes de Roma. Se conseguires vai ao nascer do sol pois o jogo de luzes é fantástico e é a única altura do dia em que vais conseguir tirar uma foto sem centenas de turistas a lutar pelo mesmo espaço. Além de ser a maior fonte barroca de Itália, está recheada de curiosos detalhes. Na parte superior tem quatro estátuas que representam as estações do ano. Ao centro está Neptuno, que conduz um carro em forma de concha, puxado por dois cavalos marinhos (um tranquilo e outro irrequieto que representam a bipolaridade do mar e o estado de espírito humano). O chafariz em frente às esculturas simboliza o mar e as duas estátuas das laterais representam a abundância e a salubridade. A tradição manda que atires uma moeda de costas para a fonte para voltares a Roma.

 

Piazza Barberini (Metro linha A – Barberini)

É uma grande praça do século XVI, localizada no centro histórico da cidade, no monte Quirinal. No centro da mesma está a Fontana del Tritone, esculpida por Bernini.

 

Piazza della Repubblica (Metro linha A – Repubblica)

IMG_3110.JPG

É uma das principais e mais bonitas praças de Roma. Está rodeada por imponentes edifícios de um lado e um templo quase destruído do outro.  Ao seu redor tem imensos restaurantes e lojas onde vale a pena parar.

 

Transtevere – o bairro mais bonito de Roma (Tram 8)

Local ideal para almoçar e começar a tarde sem pressas. Tem igrejas antigas, lojas giras e restaurantes tradicionais. Aqui fica a Piazza di Santa Maria e a Basílica de Santa Maria Maggiore, que é a maior igreja mariana da cidade e foi a primeira do Ocidente dedicada ao culto de Maria. A entrada na basílica é gratuita e é feita entre as 7h00 e as 19h00.

 

Jardins da Villa Borghese (Metro linha A – Flaminio ou Piazza del Popolo)

É um dos maiores parques urbanos da Europa. Se fores com crianças é uma visita obrigatória. A entrada é gratuita e feita a qualquer hora do dia. No interior tens um dos museus mais importantes de Roma – Galleria Borghese (preços e horários aqui), o Zoo de Roma – Bioparco – onde a maioria dos animais foi salvo de circos, outros zoos ou situações ilegais (preços e horários aqui) e ainda o Silvano Toti Glove Theatre.

 

Dia 2

Coliseu (Metro linha B - Colosseo)

Como estava a nevar quando fui visitar o Coliseu o interior estava interdito a visitas. Mas quem entra diz que vale a pena. O bilhete custa 12€ no local e 19€ online. Apesar de ser mais caro, online podes agendar logo o horário e evitar filas. O Coliseu é o símbolo da Roma Imperial e é o maior anfiteatro alguma vez construído, conseguindo albergar até 80 mil pessoas. A sua edificação remonta a poucos anos depois de Cristo e era usado para combates de gladiadores e espetáculos públicos. Hoje, apesar de estar parcialmente destruído por guerras e terramotos, é considerado uma das 7 Maravilhas do Mundo

 

Arco de Constantino

À saída do Coliseu, antes do percurso para o Fórum Romano, fica o Arco de Constantino. Foi construído no ano 315 d.C. e celebra a vitória de Constantino na Batalha da Ponte Mílvio. Apesar dos anos, está em excelentes condições.

 

Fórum Romano

Com o mesmo bilhete do Coliseu podes visitar o Fórum Romano (8h30-18h30), uma praça em ruínas onde antigamente se centrava a vida pública da cidade. Aqui realizavam-se cerimónias importantes como eleições, discursos políticos e julgamentos.

 

Palatino

Tal como Lisboa, Roma tem sete colinas e esta é uma delas. Tem 70 metros de altura e nas suas encostas foram construídos o Fórum Romano e o Circo Máximo. Hoje em dia é um museu ao ar livre que podes visitar com o mesmo bilhete do Coliseu.

 

Monumento a Vittorio Emanuele II (Tram 8 – Piazza Venezia)

Monumento.jpg

Monumento construído em honra do primeiro Rei da Itália e pai da pátria italiana. Aqui consegues uma vista panorâmica da cidade gratuitamente entre as 9h30 e as 18h30. Na sua frente fica a Piazza Venezia, uma das mais centrais e com mais movimento de Roma. Do Coliseu ao Monumento a Vittorio Emanuele II são 10 minutos a pé.

 

Monte Capitolino (Metro linha B – Colosseo / Tram 8)

O Monte Campidoglio fica perto da Piazza Venezia e foi palco de atividades políticas e religiosas. Hoje em dia, abriga a Câmara Municipal de Roma, a Piazza del Campidoglio e os Museus Capitolino (9h30 às 18h30) onde poderás ver pinturas, esculturas e estátuas famosas. A entrada nos museus custa cerca de 15€. Sabe mais aqui

 

Piazza Navona

É uma das mais conhecidas praças de Roma e fica perto do Monumento a Vittorio Emanuele II. A sua forma assemelha-se à dos antigos estádios da Roma Antiga.

 

Pantheon

É o Panteão mais conhecido do mundo e é visitado, diariamente, por milhares de turistas. A parte mais bonita deste monumento é a cúpula que é de uma beleza e simplicidade inigualável. A entrada é gratuita e o melhor é consultares os horários aqui

 

Piazza di Spagna (Metro linha A – Spagna)

Ficou famosa pela sua escadaria com 135 degraus que sobe até à Igreja Trinità dei Monti. O cimo das escadas oferece uma das melhores vistas de Roma.

 

Piazza del Popolo (Metro linha A – Flaminio)

Nos tempos do Império, a praça do povo era a entrada da cidade, hoje é a ponta de saída para uma das maiores artérias comerciais de Roma: a Via del Corso. Aqui podes comprar de tudo, sapatos, roupa, produtos típicos e ainda comer um gelado na Venchi.

 

Dia 3

Vaticano (Metro linha A - Ottaviano, S. Pietro)

Vaticano 0.jpg

Se queres ir ao Vaticano, o país mais pequeno do mundo, com 440 metros quadrados e cerca de 800 habitantes, o melhor é ser logo de manhã e comprares os bilhetes online ou alugares o serviço de um guia (sabe mais aqui) E como ir a Roma e não ver o Papa não é a mesma coisa, o melhor é deixares este plano para um domingo ou quarta-feira (sabe mais aqui). Apesar de ser um país desde 1929, o Vaticano, que é a sede da igreja católica, fica dentro da capital italiana. Encontra-se delimitado por muros e é governado pelo Papa.

 

O que não podes perder Vaticano:

  • Praça de São Pedro (foto acima) - Foi desenhada por Bernini que, através de várias colunas que rodeiam a praça, quis criar o efeito de abraço, simbolizando a Igreja Mãe que acolhe todos e onde todos são bem-vindos (gratuito).
  • Museu do Vaticano - Vários museus dentro de um só, com valiosas coleções de arte colecionadas ao longo dos séculos pelos pontífices romanos. Aberto das 9h00 às 18h00 todos os dias, exceto ao domingo (16€).
  • Capela Sistina - É o local de encontro do Conclave (onde se escolhe o novo Papa) e onde, até agora, todos os Papas moravam. Francisco optou por morar na Casa Santa Marta, uma residência mais discreta, mas também localizada no Vaticano. A Capela Sistina tem dois grandes pontos de contemplação, pintados à mão. O teto, uma obra do pintor Michelangelo, que demorou quatro anos a finalizar. E a parede do altar que retrata ‘O Juízo Final’ e se assemelha ao ‘Inferno’ de Dante.
  • Basílica de São Pedro – A visita a este que é um dos maiores edifícios católicos de todo o mundo é gratuita e pode ser feita entre as 7h00 e as 19h00. Aqui são celebradas a maioria das cerimónias religiosas com a presença do Papa. No interior tem diversas capelas para oração, três naves principais, esculturas e até os túmulos dos anteriores papas. Na cúpula tens a melhor vista de Roma. A subida é penosa e não é aconselhada a pessoas com problemas cardíacos. Se optares pela ajuda de um elevador pagas 8€ e ainda vais ter de subir 320 degraus em caracol (horários aqui).

 

Castelo Sant'Angelo

Se não quiseres subir à cúpula da Basílica de São Pedro, não te preocupes. Este castelo, construído pelo Imperador Adriano e que serviu de fortaleza e proteção do Papa nos tempos de guerra, também te dá uma vista panorâmica de Roma. A melhor altura para o fazeres é ao pôr do sol. O castelo, que fica numa das saídas do Vaticano, está aberto das 9h30 às 18h30 e o bilhete custa 10€.

 

Alojamento:

Hotel Portamaggiore - quartos confortáveis e limpos, pequeno-almoço buffet e um restaurante no terraço. A localização é muito boa. Em frente ficam várias linhas de tram e a estação de metro Manzoni (linha A) fica a 10 min. Os preços rodam os 50€/noite.

 

Restaurantes e afins:

Restaurante1.jpg

  • Em Roma comes bem e barato. Mas vale a pena experimentar um restaurante mais conceituado. Eu fui ao Rosati. Os pratos são simples e cheios de sabor. Escolhi o Risotto alla Milanese e era ótimo (média 40€/ pessoa).
  • Er Buchetto – Há mais de 100 anos que este espaço serve sandes de carne de porco desossado (3/4€). Fica na Via del Viminale, junto à Piazza della Repubblica, tem três mesas e aqui, normalmente, só param locais.
  • Eataly – Há três lojas destas em Roma. Além de ter um pouco de tudo para comeres (pastas, pizza, sushi, sandes, gelados) é também um espaço de venda de produtos italianos artesanais, como chocolates, pastas, risotos, vinho, cerveja. Difícil é escolheres o que levar.
  • Gelados Venchi – Os melhores gelados italianos e com fama por todo o mundo. Só em Roma há 10 lojas. Eu fui à gelataria da Via del Corso e à do Aeroporto Fiumicino.

 

Transportes:

  • Roma Termini é a estação principal. Tem metro, tram, autocarros e comboios. A viagem de e para o aeroporto de autocarro dura 30 minutos e custa 5€.
  • Dentro da cidade aconselho o tram e o metro. Mas se organizares bem o dia consegues percorrer a cidade a pé e utilizar transportes uma a duas vezes/dia.
  • Cuidado com as malas, porque há alguns carteiristas, e em validar sempre o bilhete.

 

Atenção! Na maioria dos locais não podes entrar com guarda-chuva, mesmo que guardado na mala. O melhor é levares uma daquelas capas transparentes para a chuva.

Quem é a 'Perdida'?

Perdida nas redes

Perdida no Facebook

Perdida na Zomato

Vê a minha história gastronómica na Zomato!

Perdida pelo Instagram

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.