Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Perdida por Lisboa

A capital vista pelos olhos de uma açoriana...

Perdida por Lisboa

21
Mai19

10 tapas que temos de experimentar nesta Rota

60977671_1156384311208219_2303796972693225472_n.jp

 

A Rota de Tapas está de volta para mais uma edição. Começa já esta quinta-feira, dia 23 de maio, e termina no dia 9 de junho.

 

A lógica é a mesma dos últimos anos, tal como já expliquei aqui. Há um mapa para ser mais fácil localizar os restaurantes aderentes, depois de lá chegares é só pedires uma tapa e uma cerveja Estrella Damm por apenas 3€. Além disso, esta viagem gastronómica pode dar acesso a um passaporte para Barcelona (sabe mais aqui).

 

Normalmente gasto 9€ e vou a três restaurantes diferentes. A edição deste ano conta com 32 espaços aderentes só em Lisboa (há mais 8 cidades portuguesas a receber o evento na mesma altura).

 

Para te facilitar a vida, selecionei as 10 tapas mais atrativas desta rota por Lisboa:

 

1 - A Maria Não Deixa – Dueto de Chamuças de Enchidos (morcela + maçã/farinheira + queijo)

2 - Soi – Assas de Frango com Molho Coreano (estas já provei e sei que são ótimas)

3 - Arco da Velha – Tapa a Boca (paté de chouriço e azeitona preta sobre pão caseiro)

4 - Um elétrico chamado… - Tártaro de Salmão e Beterraba sobre Chips de Batata Doce

5 - Os Bons Malandros – Porquinho Malandro (folha de arroz, porco, pimentos e amêijoas)

6- Le Baron Lisboa – Arancini de Portobello (bolo de risotto servido com teriyaki cítrico)

7 - Sublime – Batata Brava (batata frita em cubos acompanhada com bacon e molho agridoce)

8 - Há Pitéu – Mimos de Bacalhau (bacalhau confitado sob crocante de grão)

9- U’N’ME – Choco Frito (choco frito com maionese caseira de pickles e coentros)

10 - Tapa Bucho – Frango Teriyaki (frango com molhor teriyaki em creme de guacamole)

 

Segue-me nas redes sociais:

Facebook | Instagram

07
Mai19

No Maxime Hotel, a vida é mesmo um cabaret

 

Se já ouviste falar do Maxime Dancing com certeza ficaste curioso com os segredos que te sussurraram sobre o que lá acontecia. Os anos de ribalta, na década de 50, de um cabaret de inspiração parisiense preenchiam Lisboa com atuações tanto de cantores e atores de renome como de alternadeiras espanholas. Com nível. Tanto nível que, apesar do declínio a partir de 1960, o Maxime nunca saiu da memória de quem lá prolongou as noites.

 

E foi a pensar nos tempos de glória e luxo, que o velho cabaret reabriu rejuvenescido, no final de 2018, pelas mãos do grupo Hóteis Real, no mesmo local onde sempre foi, na Praça da Alegria, em Lisboa. O sucesso do Maxime Hotel é o espelho de um projeto com reflexo no passado e presente. Manteve-se o espírito boémio, provocador e elegante, mas agora com uma alma renovada, contemporânea e irreverente.

 

bar4.jpg

 

Mas já basta de história. Vou contar-te como foi passar uma noite neste charmoso hotel, que é também sala de espetáculos e lugar de partilha de refeições.

 

Logo à entrada fui surpreendida com um peep show. A cortina esconde um misterioso cubículo com um pequeno buraco numa das paredes. Ao espreitar por ele, viajei no tempo até ao Maxime dos anos 50.

 

Mas a jornada pelo ‘pretérito perfeito’ deste glamoroso espaço não acaba aqui. Ao passar pela receção revivemos o antigo salão, transformado agora em sala de refeições e de espetáculos, e chegamos ao bar, que mantém o antigo balcão.

 

show2.jpg

Todos os dias servem-se aqui brunchs, almoços, jantares e cocktails. A experiência é escolhida ao gosto do cliente. Mas as noites Maxime Cabaret Show, todas as sextas-feiras, oferecem um match perfeito. É que além do extravagante espetáculo - com bailarinas que nos fazem rir ao mesmo tempo que despem sensualmente a roupa -, degustamos de um menu da autoria do Chef Luca Bordino.

 

A expedição gastronómica inclui uma entrada de foie gras com crumble de frutos secos e cogumelos, pickle de morango, merengue de morango, chutney de morango, malagueta e gengibre. Dois pratos principais, um de peixe e outro de carne e ainda uma sobremesa deliciosa: mousse de peanut butter com crumble de peanut butter e gelado de banana.

 

Se já estava feliz com a experiência, mal sabia eu o que me esperava. Subi no elevador que nos dá acesso aos 75 quartos e desci no andar reservado aos quartos temáticos. Todos os quartos estão decorados a rigor e com sensualidade, em homenagem às coristas e bailarinas que por aqui passaram, mas estes cinco são ainda mais especiais.

 

Há um quarto Burlesque, tal como o show que acabamos de assistir, um Bar Room, que combina jogos de casino com uma decoração mais masculina, para os mais arrojados e para uma noite de luxúria a escolha acertada é o Bondage, que esconde as fantasias mais ocultas e oferece algemas, chicotes e até baloiços, ou o Stage Room, onde os seus sonhos surgirão sobre uma cama redonda com luzes. 

 

Nós ficamos no Dressing Room que está decorado com espartilhos, leques, muitos espelhos e um quadro das irmãs bailarinas espanholas Carmem e Lola que nos olham sobre a confortável cama (fotogaleria no início do post).

 

Foi uma noite de luxúria a não esquecer… e repetir 

 

O preço do espetáculo mais jantar é de 55 euros. Se quiser apenas assistir ao show enquanto bebe um copo (incluído) o valor é de 20 euros. Já os quartos, começam nos 143 euros por noite para duas pessoas.

17
Abr19

Jantar numa Varanda Azul com vista Tejo

 

O Varanda Azul, no Restelo, abriu com uma nova gerência há cerca de dois meses. Não o conheci nas mãos dos anteriores proprietários, mas uma coisa te digo: neste momento, está muito bem entregue.

 

O estabelecimento está localizado nas instalações do Estádio do Restelo e tem uma vista incrível sobre o rio Tejo e Ponte 25 de Abril. Fica a dica para, no verão, reservares uma mesa na esplanada.

 

No dia em que lá jantei chovia, por isso ficamos no interior. A decoração é simples, mas com apontamentos engraçados. O staff muito simpático e atento apresentou com preceito o menu contemporâneo e diversificado.

 

Primeiro fomos recebidos com um couvert delicioso composto por Pão&Tostas (de Mafra e de abóbora e noz), uma pasta de azeitonas e alcaparras (Tapenade Enfrascada) muito boa mesmo, uma manteiga de ervas e outra de tomate seco e ainda um azeite aromatizado.

 

 

De seguida, foi nos apresentado um dos meus pratos preferidos da refeição: O Tataki na Província de Kochi. Ou seja, um atum otimamente braseado, com sementes de sésamo e uma espécie de puré abacate muito boa.

 

Para prato principal escolhemos o T-Bone (Aroquesa DOP) com maturação de 20 dias, acompanhado de batata-frita. A carne estava suculenta e no ponto e as batatas eram caseiras (apetece-me bradar aos céus quando isto acontece… é tão raro e tão bom).

 

Para o doce final escolhemos o Crème Brulée e Aguardente de Mel e o Banana e Caramelo Salgado. Apesar de não gostar de banana, adorei esta sobremesa. O caramelo salgado, a nata e o crumble são divinais. Arrisco-me e sugerir à gerência que faça um igualzinho, mas sem fruta  

 

Informações:

Preço Médio: 45€ para duas pessoas (tem Zomato Gold)

Horário: Aberto todos os dias, menos à segunda-feira. Ao almoço o Varanda Azul está aberto do 12h30 às 15h00, já o jantar é servido das 19h30 às 23h00.

Morada: Estádio do Restelo, Avenida do Restelo, Restelo, Lisboa

 

Varanda Azul - DEaR Menu, Reviews, Photos, Location and Info - Zomato

08
Abr19

Rio Maravilha, onde "o rio é bonito pra c#&%lho"

RioMaravilha.jpg

 

É debruçado sobre o Tejo, com a Ponte 25 de abril ao lado e o Cristo Rei em frente, que o Rio Maravilha se ergue. Um gastrobar que abriu há cerca de quatro anos, no espaço onde antigamente conviviam os trabalhadores da  Companhia de Fiação Lisbonense, no LX Factory, e que desde essa altura atrai por dia centenas de lisboetas e turistas.

 

A vista é deslumbrante e faz jus ao nome. Mas, o Tejo não é o único homenageado e nas janelas de uma das salas de jantar está mesmo isso impresso: "o rio é bonito pra c#&%lho". Além desta icónica frase, atribuída ao escritor Paulo Lins, autor do livro 'Cidade de Deus', o Rio de Janeiro está presente na decoração e no menu deste espaço que alia comida e bebida de autor. As cadeiras estão forradas com padrões coloridos, no teto há globos e barcos e nas mesas ora projeções multimédia ora jogos de tabuleiro. E até o WC tem uma banheira com projeções em vez de um simples lavatório. 

 

Fui lá jantar uma vez, ainda era o Chef Diogo Noronha que tomava conta das panelas e achei que a comida não acompanhava a beleza do espaço, não fiquei mesmo nada impressionada. Contudo, recentemente, voltei por duas vezes para beber um copo e fiquei curiosa com o novo menu a cargo do Chef Hugo Castro. Numa olhadela rápida pela ementa reparei que o conceito do espaço continua a ser o mesmo, misturar entradas com pratos principais, o que me agrada imenso, mas com novas sugestões que colocaram o meu paladar a salivar como o bao de caranguejo casca-mole e caril vermelho e o entrecôte e anticucho. 

 

Os cocktails de autor são fantásticos, provei um com álcool e outro sem álcool e adorei ambos.

 

De sublinhar ainda a postura do staff que, mesmo quando o espaço está super cheio, com portugueses e turistas a lutar pelo melhor lugar na esplanada, é simpático e sorridente.

 

Informações:

Preço médio: jantar - 50€ para duas pessoas; cocktails de assinatura -9€/10€

Horário: aberto todos os dias menos à segunda do 12h30 até pelo menos às 00h00

Morada: Lx Factory, Rua Rodrigues Faria, 103, Entrada 3, Piso 4, Alcântara

 

Rio Maravilha Menu, Reviews, Photos, Location and Info - Zomato

15
Mar19

Treestory: Foodporn da Geórgia em Lisboa

 

Há uns meses nasceu em Lisboa, perto do Marquês de Pombal, o primeiro restaurante georgiano da capital portuguesa: o Treestory.

 

Fiquei curiosa por isso aproveitei que tinha um prato de oferta com a Zomato Gold (Para teres 25% de desconto na tua adesão coloca o código: PERDIDW) convidei duas amigas e lá fomos nós experimentar.

 

Quando chegamos não ficamos lá muito impressionadas. A decoração do espaço, na nossa opinião, não é a mais bonita. Comentamos logo que parecia uma pastelaria ou café de esquina. Contudo, ainda bem que ficamos porque o Treestory acabou por nos conquistar.

 

Apesar do staff não falar corretamente português é esforçado e simpático e fez boas recomendações para o jantar. Decidimos partilhar vários pratos, não percebi se este é o conceito do restaurante, mas correu muito bem.

 

A tarte Gúria, uma tarte quente, fechada em forma de barco, com (muito) queijo e ovo custa apenas 8€, é maravilhosa. De seguida, pedimos as batatas à moda da Geórgia (7€) e a carne em molho de nozes com especiarias, que vem servida com arroz e custa 18€. Para sobremesa, apesar da montra ter bolos com um aspeto delicioso, optamos pela mais tradicional, a Baklava (5€), que é um tipo um pastel de massa filo, balhado em mel e que no interior tem uma pasta de nozes trituradas.

 

No dia que fomos ao Treestory estava a chover, mas o restaurante tem uma esplanada das traseiras muito agradável para os dias de Primavera que estão aí.

 

Informações:

Preço médio: 35€ para duas pessoas (tens um prato de oferta com a Zomato Gold)

Horário: Está aberto todos os dias, mas tem vários horários. Consulta aqui

Morada: Rua Luciano Cordeiro, 46 A, Lisboa

 

Treestory Menu, Reviews, Photos, Location and Info - Zomato

Quem é a 'Perdida'?

Perdida nas redes

Perdida no Facebook

Perdida na Zomato

Vê a minha história gastronómica na Zomato!

Perdida pelo Instagram

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.